Tipos de Manutenção

Tipos de manutenção: quais suas diferenças?

Os diferentes tipos de manutenção estão atrelados a falhas e defeitos, seja para corrigi-los ou prevenir que aconteçam. Essa atividade é realizada em equipamentos e ativos para garantir a qualidade em setores como indústria, telecomunicações, refrigeração e climatização.

A importância desse processo ainda está relacionada aos custos de uma operação. Você sabia que algumas manutenções podem até ajudar a economizar? Em alguns casos, investir em manutenções preventivas pode ser uma boa estratégia de economia.

Em outros, as corretivas compensam mais do que as preventivas, pensando do ponto de vista econômico.

Mas como saber quais são as melhores para o seu segmento? Para entender as características dos tipos de manutenções disponíveis no mercado, confira o artigo que fizemos para te ajudar.

Por que a manutenção industrial é importante?

A manutenção industrial é essencial para estender a vida útil dos equipamentos e evitar falhas que podem comprometer seu desempenho e até levar à suspensão do funcionamento.

Quando a máquina ou ativo apresenta algum erro de funcionamento, o problema pode afetar diferentes setores da indústria e até mesmo o cliente, trazendo prejuízo e dor de cabeça.

Se os reparos forem realizados periodicamente, é possível minimizar o estrago causado pela falha, prolongar o funcionamento do equipamento e até evitar o aparecimento dos problemas.

Como indústrias normalmente lidam com equipamentos de alto custo, a falta de manutenção pode ser ainda mais cara, já que a necessidade de substituição total dos ativos também é custosa.

Além disso, quando há necessidade de suspender, ainda que temporariamente, as operações para a realização da troca, há gastos com o tempo ocioso dos funcionários e prejuízos pelo atraso ou ausência na entrega dos serviços e produtos fornecidos.

Por isso, a manutenção constante se traduz em praticidade, economia e prevenção do incômodo causado pela suspensão das atividades. Mas para que a manutenção seja ainda mais eficaz, é preciso avaliar qual o tipo de manutenção mais indicado para a situação da sua empresa.

Quais os tipos de manutenção?

Os três tipos de manutenção mais comuns são preventiva, corretiva e preditiva. A manutenção mais adequada vai depender de diversos fatores. Entendendo melhor as diferenças entre elas, fica mais fácil decidir qual é a melhor opção para o seu negócio.

Manutenção Preventiva

Chamada também de programada ou planejada, o principal objetivo desse tipo de manutenção é diminuir a probabilidade de falhas futuras. Com a manutenção preventiva, é possível evitar o surgimento do problema, reduzindo a necessidade por manutenções corretivas.

Ela é periódica, ou seja, segue um prazo previamente estabelecido para determinar quando deve ser feita uma vistoria com o objetivo de prevenir possíveis defeitos.

Essa ação ainda pode ser classificada de duas formas diferentes.

Manutenção preventiva baseada no uso (UBM)

Quando o equipamento foi utilizado por um determinado número de vezes ou horas, ele deve receber a manutenção preventiva baseada no uso. É o que ocorre com máquinas que precisam de revisão após um determinado número de ciclos funcionando, por exemplo..

Manutenção preventiva baseada no tempo (TBM)

Esse tipo de manutenção leva em consideração o tempo de uso do equipamento, de modo que uma vistoria deve ser agendada a cada período. É o caso do ar-condicionado, que deve ser avaliado em intervalos de 6 a 12 meses para garantir seu funcionamento adequado independentemente da quantidade de vezes que o aparelho tenha sido usado.

Manutenção Corretiva

Quando um equipamento apresenta falha na operação, é preciso buscar a correção desse problema. Essa ação é chamada de manutenção corretiva e pode ser classificada em diferentes subdivisões.

Tende a ser uma opção mais custosa pois normalmente só ocorre após a falha do ativo, resultando muitas vezes na interrupção temporária do seu funcionamento.

Manutenção corretiva planejada

É um plano de ação vindo de uma inspeção anterior que detectou um problema e identificou a necessidade de correção, levando a um novo agendamento para a execução do reparo. Aqui não o reparo não precisa ser feito imediatamente.

Não confunda manutenção corretiva planejada com manutenção preventiva: a primeira é usada quando o problema já foi identificado e precisa ser resolvido, enquanto a segunda é para prevenir um problema que ainda não apareceu.

Manutenção corretiva não planejada

É indicada para resolver uma emergência detectada durante a operação, por isso é mais cara. Esse tipo de manutenção geralmente envolve o desligamento do equipamento até que a falha seja corrigida, resultando em prejuízo para a empresa.

Por isso, o ideal é que seus equipamentos recebam manutenção preventiva e preditiva, diminuindo a necessidade de manutenção corretiva não planejada.

Manutenção corretiva paliativa

Não é definitiva — nesse caso, a manutenção atua como um “quebra-galho”, realizando apenas os reparos necessários para que o ativo volte a funcionar, porém de maneira provisória. Com a manutenção paliativa, ainda há a necessidade de uma nova manutenção futuramente.

Manutenção corretiva definitiva ou curativa

Após o conserto provisório, deve-se agendar uma nova visita técnica para finalizar a manutenção, resolvendo de vez o problema apresentado.

Manutenção Preditiva

Conhecida também como “condicionada”, “não-sistemática” ou “preventiva por estado”, ela usa uma metodologia diferente para prever falhas.

Esse tipo de manutenção é voltado para o acompanhamento dos resultados apresentados pelo equipamento, usando o monitoramento do sistema para entender seu funcionamento e assim criar planos de ação para evitar problemas futuros.

Sua finalidade é estabelecer parâmetros de funcionamento para o equipamento, baseando-se nas alterações que os ativos sofrem com o passar do tempo. Para isso, seu embasamento leva em conta sensores, relatórios e até mesmo sinais físicos. É aí que entra a manutenção sensitiva.

Diferente da manutenção preventiva, que é feita de acordo com o tempo ou uso, na manutenção preditiva o equipamento é monitorado constantemente, de forma manual ou automática, e só é realizada alguma interferência caso algum indicador esteja fora do padrão. 

Manutenção preditiva sensitiva

Na manutenção sensitiva, o técnico usa seus sentidos (visão, olfato, audição e tato) para identificar falhas de funcionamento. Isso significa prestar atenção a ruídos incomuns, odores estranhos, variação de temperatura e outros sinais de defeito.

Os resultados da manutenção preditiva sensitiva devem ser aliados a outros dados para obter um diagnóstico confiável.

Manutenção preditiva monitorada

Diferente da manutenção sensitiva, a manutenção preditiva monitorada não exige a presença do técnico no local: ela é feita com sensores que monitoram o funcionamento da máquina e enviam esses dados para análise por relatório.

Manutenção Prescritiva

É semelhante à manutenção preditiva, mas vai além. Enquanto a preditiva utiliza os dados obtidos para buscar possíveis falhas futuras, a manutenção prescritiva sugere também qual é o melhor caminho a ser seguido, independentemente da existência de falhas.

Ou seja, mesmo que não esteja prevendo futuros defeitos, ela recomenda ações para melhorar o funcionamento geral do equipamento e obter melhores resultados com seu desempenho.

Manutenção Detectiva

Diagnosticar as falhas com a manutenção detectiva exige o uso de aparelhos adequados, já que seu objetivo é identificar acontecimentos que não foram encontrados durante a operação.

Voltada para sistemas de controle, comando e proteção, a verificação é realizada em períodos estipulados para evitar ou corrigir as falhas ocultas.

Um diferencial desse tipo de manutenção é que ele não serve apenas para identificar problemas de funcionamento que levam ao desligamento do equipamento — ele observa também pequenos defeitos que podem ter impacto a longo prazo.

Manutenção Produtiva Total (TPM)

Esse tipo de manutenção é conhecido como TPM por conta do seu nome em inglês, Total Productive Maintenance (Manutenção Produtiva Total). Seu princípio considera que o papel de buscar eficiência na manutenção não é responsabilidade apenas do time em específico.

Por exemplo: cuidar da limpeza e ajustes de algumas máquinas pode também ser de responsabilidade de quem está na produção no dia a dia, não só do técnico ou da equipe de conservação.

Qual tipo de manutenção escolher? 

Para planejar o Plano de Manutenção, é preciso saber qual o tipo de manutenção mais indicado para cada situação.

O principal objetivo da manutenção é que ela prolongue ao máximo a vida útil do aparelho, considerando também seu desempenho. Por isso, alguns pontos de atenção são:

  • Criticidade: se a parada do seu equipamento vai ter um impacto muito grande para sua empresa ou serviço, o nível de criticidade é alto; é o caso de maquinários agrícolas que, se não estiverem operando corretamente, prejudicam a colheita. Já equipamentos como celulares, que normalmente são usados individualmente e podem ser substituídos por outros aparelhos, têm baixo grau de criticidade;
  • Vida útil: um equipamento com vida útil curta tem necessidades de manutenção diferentes de ativos que são esperados que funcionem por muito tempo, como elevadores (longa vida útil) e lâmpadas (curta vida útil);
  • Orçamento: aqui depende mais da sua empresa do que do ativo. Algumas manutenções são mais caras do que outras, por isso leve esses pontos em consideração ao elaborar o orçamento da sua empresa;
  • Frequência: a frequência da manutenção está relacionada às necessidades de cada equipamento. Alguns aparelhos necessitam de manutenção periódica, outros não. 

Mas então qual é o tipo de manutenção mais indicado? Essa decisão deve ser analisada por um gestor ou técnico experiente, mas também deve-se levar em consideração a indicação do fabricante do ativo.

Para esclarecer suas dúvidas, separamos aqui qual o tipo de manutenção indicado conforme os pontos citados acima, mas lembre-se de sempre consultar uma opinião profissional.

 

Preventiva

CorretivaPreditivaPrescritiva

Detectiva

Criticidade

Alta/ MédiaMédia/ BaixaAltaAltaAlta

Vida útil

LongaLonga/ CurtaLongaLongaLonga
OrçamentoAlto/ MédioMédio/ BaixoAltoAlto

Alto

FrequênciaMédiaAltaBaixaBaixa

Média

Na tabela, busque a criticidade, vida útil e frequência que mais se aproximam do equipamento em questão, assim como seu orçamento, e identifique qual o tipo de manutenção mais indicado.

Em caso de dúvida, converse com um profissional de sua confiança. Lembre-se que aparelhos são imprevisíveis e podem necessitar de outro tipo de manutenção, como a corretiva, a qualquer momento.

E na sua empresa, quais são os tipos de manutenção realizados? Conte sua experiência nos comentários!

Aproveite para conhecer os nossos modelos de checklist de manutenção. O Produttivo conta com modelos prontos e personalizados para sua empresa, como:

São muitas funcionalidades na palma da sua mão para aumentar a qualidade operacional da sua empresa e trazer suas operações para o mundo digital. Faça um teste grátis!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima