IoT na manutenção: o futuro do mercado de serviços

Quer ser uma empresa de manutenção do futuro? Saiba o que é o IoT, como ele impacta as rotinas das empresa se como irá transformar o mercado de serviços no país.

O IoT, ou internet das coisas, é uma das inovações que vieram para revolucionar o mercado de serviços e suas cadeias produtivas. O conceito, que faz parte das inovações da indústria 4.0 e service 4.0, utiliza a tecnologia para captar dados de forma inteligente e automática através de sensores e softwares.

Esses dispositivos podem ser aplicados em diversos locais e objetos físicos com o objetivo de ter informações facilitadas sobre seu funcionamento ou comportamento. Um setor que tem usado o IoT e transformado a maneira como os serviços são feitos é o de manutenção. Os sensores, nesse caso, são usados para monitorar o funcionamento de máquinas e equipamentos. Por meio deles, é possível medir automaticamente a temperatura, entrada e saída de ar, umidade, consumo de energia e entre outros indicadores.O

Quando integrados com plataformas e aplicativos de gestão, os dados podem ser acompanhados a distância e em tempo real. Com essas informações, é possível prever e evitar falhas, diminuir o consumo de energia, otimizar a vida útil dos equipamentos e melhorar os serviços e planos de manutenção. É um processo muito mais ágil e eficiente, com benefícios tanto para o prestador de serviço, quanto para o cliente.

Como o IoT impacta o presente e o futuro do mercado de manutenção?

Papel, prancheta na mão, planilhas, câmera fotográfica e falta de dados para tomadas de decisão. Em tempos de tecnologia, falar de processos manuais pode parecer distante. A verdade, no entanto, é que ainda existem empresas praticando esses mesmos procedimentos há décadas.

E é sobre essa realidade que precisamos conversar.

Se nos últimos 20 anos pouca coisa mudou e práticas assim ainda eram comuns, agora tudo tem se transformado em ritmo acelerado. O mercado tem vivido – e vai viver ainda mais – uma intensa transformação. Estar atento a esse rápido movimento e as inovações da área é uma questão de sobrevivência e fundamental para ter um modelo de negócio competitivo e saudável.

Quer ser uma empresa do futuro? Entenda o que muda na manutenção com o IoT:

1) Sai o papel, entra a tecnologia

A primeira e maior transformação com a chegada do IoT é a automação dos processos. Com a tecnologia, a coleta e análise de informação que antes eram feitas em papel e através de visitas técnicas, agora são geradas automaticamente. Essa mudança provoca uma economia de tempo e torna o processo muito mais eficiente em comparação ao anterior.

Para exemplificar, vamos supor que um prestador seja responsável pela manutenção de todos os equipamentos de um supermercado. Uma das ilhas de congelados parou por conta do excesso de gelo, o chamado bloqueio. Ao chegar no local, o técnico tem que retirar todos os alimentos e efetuar a lavagem para derreter o gelo. Depois, desmonta o equipamento e então começa os testes. Após esse procedimento, descobre que a resistência queimou. A peça então é trocada e o equipamento remontado.

Pela descrição, é fácil de perceber o quão improdutivo, demorado e oneroso é esse processo. Com o IoT, todo esse tempo e transtorno são minimizados. O gestor de manutenção poderia, através dos dados dos sensores, analisar a temperatura de entrada e saída de ar e o consumo individual do equipamento. Quando a máquina entrasse em degelo e os números estivessem diferentes do esperado, a equipe técnica poderia atuar antes do bloqueio.

Além de otimizar a execução dos serviços, com a automação é possível avaliar quando o trabalho deve ser feito com urgência ou não. Um processo de bloqueio, por exemplo, não é tão grave e permite um planejamento de corretiva. Em contrapartida, uma temperatura alta é um fator crítico e requer uma intervenção imediata.

2) Gestão de serviços com dados inteligentes

A manutenção deixou de ser uma área operacional e se tornou estratégica. E essa já é uma expectativa de boa parte dos clientes ao contratar serviços da área. Mais do que arrumar um equipamento quando ele estraga, empresas têm buscado prestadores que agreguem valor ao seus negócios e entreguem resultados através de aumento no rendimento dos equipamentos e redução de custos.

O IoT é o primeiro passo para ter dados mais inteligentes, mas não para por aí. Informações isoladas são somente informações. Para haver mudança e resultado, é importante criar uma conexão entre os dados, gerar análises e criar planos de ação.

Além dos dados dos sensores, é fundamental que você tenha histórico dos equipamentos e atendimentos. Com todas essas informações, será possível analisar com maior precisão quais são os melhores serviços para cada ativo e cliente. E, como próximo passo, criar planos de manutenção estratégicos, que acompanhem desde o planejamento, até os resultados. Neste texto, damos algumas dicas em como fazer isso por meio de um Planejamento e Controle da Manutenção (PCM).

3) IoT integrado com outras soluções

Outra transformação e tendência gerada pelo IoT na manutenção são as integrações com aplicativos e softwares. O monitoramento dos sensores é somente uma parte da tecnologia. Para que o processo funcione 100% e seja eficaz para o cliente e para a empresa de manutenção, é preciso estar atento ao processo como um todo, desde a geração dos alertas, até o planejamento, acompanhamento e comprovação do serviço.

Essa é a proposta de soluções como a ProHound e o Produttivo. A ProHound trabalha com os sensores e possui um painel para visualização dos dados. No Produttivo, aplicativo para gestão e execução dos serviços, gestores acompanham os alertas gerados pelos sensores e com base nisso podem planejar atividades com checklists digitais personalizados. Equipes em campo usam então o aplicativo para executar o serviço, onde podem responder questões de conformidade, colocar fotos, fazer leituras de QR Code, assinatura digital e várias outras opções. Assim que terminam de responder o formulário, podem gerar um relatório automático do serviço. No computador, gestores acompanham tudo em tempo real: desde os preenchimentos que estão sendo realizados e os relatórios gerados, até indicadores de produtividade e atendimento.

Essas são algumas das transformações que já acontecem e que vão fazer parte do mercado nos próximos anos. Empresas que estão aplicando essas tecnologias em seus processos vão se posicionar primeiro e melhor. Agora, mais do que nunca, o momento é de preparação. Práticas de 20 anos atrás não terão espaço no mercado de manutenção. E, você, já é uma empresa do futuro? Deixa sua opinião pra gente nos comentários abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima